março 27, 2009

"Total quebra de rotina. Acordar cedo, após uma noite em que apenas o corpo tinha paciência para dormir. Quando a cabeça não dá descanso...
E não dá descanço!
Sou muito instável, o que digo agora pode ser o que digo daqui a momentos. Agora se há coisa que gosto é não dar satisfação do que digo quando os outros não têm capacidade para responder porque há coisas que não percebi. (...) Acho que tentas omitir - e muito mal, desculpa que te diga - a (in)diferença, de forma diferente: diferenciando-te da suposta diferença que sempre jogaste (limpo, achava): igualando-te a todos os outros. Quando as coisas dão para o torto (sabendo que a intenção era endireitar) ficaste igual aos outros miúdos que se dizem superiores a certas situações: um modo acobardado de desprezo (desmentes?). (...) A consequência atenua a intenção. Não é preciso ser-se um génio para perceber esta. Se fizeres caso disso, a passada foi a única noite que perdi por tua causa. Se desisti de nós para não te fazer sofrer, o meu corpo ressente isso!"

adaptado de Consciência, 4 de Agosto de 2008

1 comentário:

AnaLuísa disse...

Acordar cedo, após uma noite em que apenas o corpo tinha paciência para dormir. - altamente oh MollieBar x)

quanto ao resto vou ser sincera, perdi-me nessas diferenças que afinal não são diferentes, não são mais que iguais às diferenças dos outros (?)

prometo que quando a dor de cabeça passar, releio isto com calma -.-

um beijinho :P