março 30, 2009

Tratava as coisas sentimentais a frio, dizendo palavras doces ou escrevendo cartas de ternura sem querer saber se por detrás do afecto fingido havia um vislumbre sequer de afecto verdadeiro. Mentia com a cínica serenidade de quem via nos outros simples instrumentos. Espelhos onde se comtemplava, que, casualmente, eram pessoas.(...) A moça ali estava à espera, atraente, indefesa, toda à mercê da sua vontade. Que fazer, senão abrir a mão e colher o fruto? Escrúpulos? Remorsos? Em nome de que moral, se ia receber unicamente a ternura que ia dar?

Miguel Torga - Vindima

2 comentários:

AnaLuísa disse...

essa pessoa é feia -.- , *

baby piggy disse...

As pessoas gostam é de usar e abusar, os sentimentos que se fodam.