maio 20, 2009

Chamam-se modas...

Cala-te porque nem sabes o que é a moda, nem sei o que andas a fazer na escola...
Confesso, como confessaria em qualquer outro contexto, que esta foi a frase mais deprimente que ouvi da boca de alguém mais novo que eu. De pequenos mostramos o nosso carácter, de pequenos mostramos traços daquilo que viremos a ser num futuro próximo. Daqui só posso concluir que todos esses comentários te vão cegar de imbelicidade! És tão jovem, ainda tão criança, mas já com a personalidade tão futilmente modelada que dá pena...
Não tinhas que mexer tanto comigo, tanto com aquilo que sou! Não posso, agora, ser explícita... Mas é coisa que, sinceramente, quando escrevo, não gosto muito de ser. Então sou implícita, e toda a palavra é dotada de uma conotação que não hás-de ser tu, ou esses teus lindos olhos que agora lêem estas palavras, que irão perceber o que digo. Está dito...

4 comentários:

inês mel disse...

Porque é que as pessoas são tão facilmente manipuladas? Que burras. Se não estar na moda fosse moda, já viste a variedade de pessoas e culturas que estariam espalhados por aí? Que sonho.

AnaLuísa disse...

epá, essa conversa do estar na moda soou mesmo à morangos com açúcar.

sê diferente, sê irreverente! ouve os outros mas não te deixes influenciar. mostra aos outros como estás bem melhor, por seres como és e não seguir modas fúteis :]

inês mel disse...

Ai, é mesmo. Quando estava a dar a Trigonometria (que adoro) e as relações entre o seno, o co-seno e a tangente maravilhei-me completamente com aquilo! Já viste como aquilo tudo se relaciona harmoniosamente? Uau! E vira-se um colega meu «Tu és mesmo esquesita!» -.-

inês mel disse...

*esquisita -.-