julho 03, 2009

outra vez o ser humano...

A minha primeira reacção corporal a este vídeo foi a náusea, e é isso que acontece: a realidade que me envolve todos os dias me provoca náuseas. Em mais tenra idade, andando eu na escola primária, participei numa visita de estudo a uma empresa que, certamente, todos vós conhecem, de nome Lusiaves. Vi tudo o que havia para ver: aves vivas em série a entrar num lado de uma enorme caixa cinzenta forrada de um amarelo Perigo de Morte e, na verdade, do outro lado surgia a razão da cor-da-fome. Pingos de sangue cairam sobre a minha touca. Quanto tudo isto me incomodou? Zero. Saí como entrei, uma criança feliz e satisfeita com a minha vida, e feliz com o facto de ter frangos para comer - apesar de não os comer de aviário (um à parte). Mas hoje olho para tras e percebo a inocência que me consumia, era criança. Hoje em dia estas coisas revoltam-me, o Humano revolta-me. No entanto, quando publicamente exponho os meus pensamentos sobre nós, outros dizem Não sejas assim Cristina, o ser humano é bom. Chamam a isto bondade?! O ser humano pode ter sido bom, hoje não o é mais. Um dia, sejam milhares de anos (não duraremos tanto), eu estarei esquecida - tal como a minha geração estará - mas aquilo que hoje digo sobre o Homem vai ser visto, e será como a visão do Santo Graal (segundo as lendas arturianas, é o objectivo das buscas dos Cavaleiros da Távola Redonda, por ser o único objecto que trará paz ao reino de Arthur - aconselho, de novo, As Brumas de Avalon): depois disso, mais nada.
Caixinha de suspresas. Gosto de me dar a conhecer aos poucos, porque nem tudo no homem é mau... Assim as pessoas vão gostando e aprendendo a gostar umas das outras; tudo de uma vez não funciona, pelo menos na minha forma de viver não funciona: tanto na teórica como na prática! Vou para a cama ler o Memorial do Convento, um momento de prazer que esta noite me reserva.
Verdade, a cada dia que passa descubro um novo amor. Sempre adorei Geologia, mas a partir de hoje é oficial. Depois do documentário que vi, digam o que disserem, a Geologia é espantosa (mais espantosa quando vemos coisas das quais temos conhecimento suficiente para perceber bem)! Enquanto via o documentário, um pensamento fluía na minha cabeça, Não estaremos cá para ver o fim do mundo, não será um Dilúvio, será a extinção do calor interno da Terra, como com todos os corpos celestes acontece... Aí nos espera o Inferno que criámos, não escaldante, apenas gelado e morto.

8 comentários:

Anónimo disse...

verdades. muito crueis, mas são.
(By: someone) (descobres quem é assim? (às vezes sou mesmo totó como ela diz )

MollieBar disse...

Descubro, e mais digo: se fizesses login não serias anónimo :)

inês mel disse...

Segunda-feira estive com uma Canon 450D e fiquei completamente apaixonada!
Eu também sou da Sapo, mas como agora chegou aqui a MEO sem ser por satélite acho que fica mais barato. Ainda não mudei, mas quando mudar vou ficar muito triste porque vou abdicar da minha querida FOXlife :(

Se eu entrasse nessa empresa e visse o que tu viste, ficava traumatizada para sempre!
Oh, já andei às voltas com esse assunto tantas vezes. A raça humana às vezes é de uma crueldade de tal modo desnecessária que enfim...

sofia disse...

Credo eu vi o video, e é horrivel!!!! Uma crueldade que se fazem aos animais, assustei-me tanto com o último segundo, nem sei que animal era mas tive qe fechar o pc para nao o ver...LOL
Beijinho*

Aragorn disse...

Depois do texto e do vídeo, só tenho duas coisas a referir, uma é que tenho muita pena que estas acções não possuam o reverso da medalha, é que já não se trata de arranjar recursos para sobreviver, mas simplesmente para satisfazer o ego humano! A segunda é que estas atitudes necessitam de uma intervenção rápida para minimizar o seu impacto, não é por ser verdade e nos dar jeito que devemos ficar cómodos vendo isto e dizendo "Que horror, mesmo mau!" se só fizermos isso estamos a ser como eles, somos os agentes passivos da acção. Confesso que apesar de me mostrar contra talvez faça parte dessa parte passiva, falo muito, faço pouco...mas tento fazer algo.

Filósofo de Merda disse...

o ser humano sempre foi cruel, sempre subjugou a natureza, a predação é algo natural. mas em modo massivo vai contra as leis da naturalidade da cadeia alimentar.

Na minha opinião há que considerar primeiro crueldade entre humanos da mesma espécie e racionalidade.


a energia térmica da terra estará extinta antes da extinção de hidrogénio no sol?

De qualquer maneira acho que a humanidade não durará assim tanto para assistir a qualquer um desses eventos.

Filósofo de Merda disse...

PS:. Já ando à uns tempos para ler o ensaio sobre a lucidez, a sinopse intriga-me bastante, assim como grande parte dos livros de saramago.


o ensaio sobre a cegueira é simplesmente delicioso.

U disse...

por alguma razão deixei de comer carne, esta entre outras.
e mais, gosto da tua maneira de ser, de te dar aos poucos. :p
Maria cristina, é este ano! *