julho 01, 2009

Por cá me encontro, escrevendo. Poderiam perguntar-me porquê, eu responderia porque. Não sei, tenho dúvidas sobre isso, sobre muito mais que isso. Chamo-lhe de quem nada mais que fazer tem e por isso ocupa o tempo assim, escrevendo e lendo o que escreve. Chamo-lhe, também, ocupar o tempo de uma forma inteligente fazendo aquilo que se gosta, que se há coisa que gosto é escrever e ler o que escrevo. Desenvolvendo... Como não leio unicamente aquilo que eu escrevo, mas também o que outros escrevem, dou comigo agora a dizer para quem vier ler o que outros escrevem, Semana Santa. Mas daqui retiro conclusões erróneas, uma vez que não tenho que ser eu quem a é, não o sou - disso estou consciente; mas que mal tem pensar que sim e pensar que há vingança por detrás de tudo o que eu penso? Por acaso há: vingança que eu nunca quis e sempre desejei.
Voltando-me para outros dons. Como lhe já disse, não tenho capacidade de escrever sobre pessoas, mas sim sobre actos e situações. Desta forma resta-me deixar uma palavra a uma pessoa especial que aos poucos me vai sabendo, me vai lendo, me vai aprendendo. Não sei de nomes, não sei de sexos, apenas sei o que digo e o que penso.

3 comentários:

aviõesdepapel disse...

Foi bom de ler *

Aragorn disse...

A inteligência encerra-se dentro de uma cavidade de cerca de 1500cm3 ou terá um ponto de abrangência maior? Parece que a tua capacidade de escrita está atingindo "high levels" de complexidade! Sabes escrever! :P Quem sabe o que o futuro te guarda "escritorazinha em bruto" :P Se não tivesse tão pouco tempo livre também escreveria mais, mas as circunstâncias não mo têm permitido! Talvez em Agosto, se tudo correr bem volte "à carga". Pois não és a única a gostar de escrever e ler :P

baby piggy disse...

és um fluir de acções x) *