maio 26, 2009

Tanta coisa acontece, todos os dias, à nossa volta.
Tantas pessoas olham para nós sem que nos sintamos observados. Tantas pessoas passam por nós sem que sintamos a movimentação do ar com a sua passagem. Tantas pessoas tossem para cima de nós sem que sintamos os seus germes. Tantas pessoas têm diferentes sentimentos por nós sem que nos apercebamos do quão verdadeiros podem ser... Serão? Olhamos para tantas pessoas sem nos sentir observadores. Passamos por tantas pessoas sem sentir a movimentação do ar com a nossa passagem. Tossimos para cima de tanta gente sem sentir os nossos germes. Temos tão diferentes sentimentos pelos outros sem que nos apercebamos do quão verdadeiros eles podem ser... Serão?

8 comentários:

inês mel disse...

Bem, tu és o topo de gama do científico. A última parte da última frase, "a última cobardia" era metaforicamente falando (claro que tu sabes, mas apeteceu-me escrever para ocupar espaço). Pois, eu tenho tendências para a depressão quando não estou nos meus melhores dias, e o texto é mesmo pessimista.
Sinceramente, os rapazes de hoje em dia pensam que as raparigas são descartáveis (-.-) sacanas.
Como já te disse, esses germezinhos, hum, que buenos!

inês mel disse...

Crítica, rapariga, crítica à vontade! É assim que este mundo evoluí! Só não te tornes naquelas mulherzinhas que servem cervejas toda a santa vida ao marido gordo e mal-criado, fã ferveroso de futebol, e que pensa que o Newton é uma estrela de Hollywood. Por isso, crítica!
Ah, bom. Eu também tenho dias assim. Concordo no dia X e desacordo no dia Y. Mas agora estou numa fase mais down por isso tudo o que é down é para mim.
Ah, esquece isso do científica, não me saiu bem, ficou estúpido. Era para dizer que és mesmo uma raapriga das Ciências mas já me esqueci no que é que me fundamentei. Um episódio triste da minha parte.

inês mel disse...

*rapariga

AnaLuísa disse...

adorei :o

Silvana disse...

Mesmo! Não tens que pedir desculpa, ora essa.
Eu, no meu ponto de vista, concordo contigo!
É tão, mas tão descabido que até nem se merece que seja falado!
Já irritda.
Chega-se a esta altura e já ninguem pensa em mais nada.
É como se fossemos máquinas e no fim pretendem saber o nosso rendimento e os lucros que temos feito! (bolas pra isto!!)

Ignorar...é esse o "segredo", talvez.

inês mel disse...

Lembrei-me de uma coisa. Mas, para to revelar, preciso de também te revelar a minha bonita capacidade de meter nojo. Ora, reparei que antes tinhas no teu perfil do blog (penso que na secção dos interesses), «Trident melão», ora (ora, ora) a verdade é que Trident de melão não existe (acho eu). Melancia, sim, existe!
Mas como já apagaste, a acapacidade de meter nojo já não tem efeito, bolas.

inês mel disse...

*capacidade

Silvana disse...

Ah foi?
Se disses que ia gostar, epa confio em ti.
Não te lembras qual era?

É verdade, até somos pior que os próprios animais jesus.
O poema é lindissimo, ainda bem que gostas-te :)))
Bom fim de semana :)