julho 13, 2009

Trilátero

Desconheço-te e encarar-te não consigo, são equiparáveis. Olho para ti revendo-me nos teus traços e movimentos, revendo a parte de mim que exilei, como era bela e menos meu quanto teu. Como me exaspera a tua aparição, a imagem de mim. Desconheço-te e encarar-te não consigo, são equiparáveis. A tua música transborda de mim, leva-me a ti. Não sei ouvir a tua música, não sem que seja conduzida a um plano desterreno, onde estás. Não me sei ouvir sem me calar, sem te desouvir.
Como me exaspera a tua aparição, mesmo em desconhecimento. Não te conheço, não me conheces, apenas existe a tua música em comum, e eu tão bem conheço os teus traços físicos, de tão meus que foram.

4 comentários:

U disse...

a música dá-te a conhecer tudo.
uuuuh, não tem mal xD

Ape disse...

opa, tu escreves mesmo bem Cris :)

AnaLuísa disse...

adoro Mia Couto :)

escreves tão bem! *

Marta Monteiro disse...

Escreves tão bem (: