julho 09, 2009

Tudo é vida, vida é morte. Nós choramos, choramos a morte. O nosso quotidiano está rodeado de moldados corpos inertes, tocados. Estou escrevendo, sentada sobre a morte, com a morte ao lado, a morte à frente e atrás. Tudo é mobília, imóvel, outrora tudo fora vida, respirando e deixando-nos respirar. Cada vez que esperamos, deixamos a porta de pinho aberta, e quando A vemos chegar, sorrimos para Ela, a única que da espera não desesperamos. Porque tanto tememos? Somo-La.

6 comentários:

Aragorn disse...

Tememo-a porque inesperamos o esperado, tornamos o esperado em inesperado. E porquê? Porque o certo está errado, mas o errado não está certo. E o que fazer? Inesperar o esperado. Adiar o inadiável. E fazêmo-lo porquê? Por medo? Não. Egoísmo.
I hope you enjoyed the coment. My imagination is down today :P

AnaLuísa disse...

isto fez-me lembrar saramago. gostei muito (: *

inês mel disse...

Eu não aguento andar muito tempo às compras. Ahaha, sou a única das raparigas que conheço que não gosta de passar um dia inteiro no shopping, canso-me e farto-me rapidamente. Não tenho paciência nenhuma para procura e experimentar roupa, bah. Gosto de sapatos mas em termos artísticos; adoro ver se são originais e criativos e imagino-me uns anos mais tarde a usá-los, ihih x) sou tão criança -.-

Ape disse...

transpiras Saramago :) quem me dera gostar mais da escrita dele eheh *

Aragorn disse...

Fazem lembrar e não é coincidência :p
Gosto muito do estilo dele.

Silvana disse...

" O nosso quotidiano está rodeado de moldados corpos inertes, tocados."

porque cada vez mais as pessoas tentam "florear" a vida, e como já se inventou remédio para tudo, pensam que a morte ainda está pra vir, "essa coisa" não os afectará, não.

Que saudades de passar aqui, belas palavras :)