julho 31, 2009

descarrega

Não venho para aqui com lirismos, muito menos com filosofia humana e moral. Venho deitar cá para fora como estes últimos dias têm sido bons. Dando-lhe início... Estive nas Festas do Bodo 2009 em Pombal - se bem que a minha presença era mais que óbvia - no Domingo, dia em que actuaram Buraka Som Sistema e Yves Larock. Foi muito bom, muito bom mesmo, uma noite maravilhosa em todos (que se frize esta palavra!) os aspectos. O concerto dos Buraka Som Sistema foi um Deus-dará, eu só ouvia o pessoal que cobria a minha traseira (hmmm mas que bem que esta soou) dizer que eu "daqui a um bocado" qualquer coisa - devia ser algo como daqui a um bocado mando-te duas chapadas nessa tromba, porque eles estavam constantemente a levar de mim nas trombas deles, coitados. Aqui p'ra vocês (H) Foi completamente louco essa música, porque andei toda uma tarde a cantá-la na praia para a Inês a decorar, inclusivé lhe enviei uma mensagem escrita com a respectiva letra. Estava o concerto dos Buraka talvez a 75% quando eu e a Inês saimos da "multidão" porque já tinham cantado as músicas todas conhecidas, e estava um calor que não se podia lá no meio - era preciso um refresco. Por falar em refresco, tenho que dizer que antes dos concertos levei um banho de gelo e vodka preta (as minhas sandálias lindas queixammmmm-se!) que foi fácil e imediatamente correspondido. Se me perguntarem por Yves Larock eu não sei quando começou, muito menos quando acabou, nem sei se quando me vim embora ainda era o Yves Larock ou o Dj que vinha a seguir a ele. Lembro-me da boa da coreografia My dream is to fly over the rainbow so high, e que recebi um presente nessa altura da minha miuda - OBRIGADA IOLANDA, "eu amo você".
Viro-me agora para pessoas. Primeiro o grande João Belchior está claro que iria ter um lugar priveligiado - e um tal de Zé que passados talvez 10 minutos de me conhecer diz "AH!, esta é que era a Matola do Cardona" - porque foi o meu anjo da guarda toda a noite. Sem querer entrar em promenores e falar de pessoas menos ou mais importantes, vou ver as que me aparecem em memória: Inês, Belchior, Zé, Alexandre, Joel, Telmo, Ereira, Iolanda, Liliana, Wilson, André Claro, David Gomes, Fábio Moderno, Roberto, Diogo, Mariline, Cátia, Tânia, André, Carolina, Chico, Diana, Rita, Grace, Pastilha, Quimbé, Samecas, Steve, Rafa, Luis Guilherme, Kadinho, Catarina Matias, Cardona, Joana, Paulo, e o pessoal aqui da zona incluindo o Hugo que conheci por um "ÁH CRISTINA" (desculpem aí se esqueci alguém).
Falando ainda de pessoas, a minha frase predilecta da noite foi "Só te conheci pelo sorriso" (não é de deixar uma pessoa caída? Por acaso não, não é nada de extraordinário, mas eu apreciei...). Verdade seja que, adicionando a isso, apenas posso dizer que um sorriso pode valer mais escondido entre outro. Grave-se como a continuação do meu Verão dos P...
O ponto alto da noite. Ora o ponto alto da noite não foi sozinho, foi um seguimento de acontecimentos - uns vistos, outros relatados - cujas pessoas envolvidas não gostariam de ver o seu nome escrito neste blog em algumas circunstâncias, incluindo estas. Talvez até gostariam para poder dizer (ou quem sabe pensar...) que continuam a afectar-me psicológica e/ou sentimentalmente. Mas passando burocracias para tras das costas - não, não eram elas quem cobria a minha traseira no concerto dos Buraka, esses eram mesmo o Alexandre e o Joel - eu vou ao que interessa sobre o ponto alto da noite, que é o que sinto em relação a isso. O primeiro sentimento de todos é a felicidade, não fiz questão de esconder isso perante ninguém (quem viu, quem quis saber, quem perguntou ou a quem quis eu própria contar não o desmente), que se começou a misturar com tristeza - esta não por mim! Sinto-me muito feliz por saber dos factos, por ter tido oportunidade de comprovar as coisas que me diziam e que eu estava desejosa de presenciar - e presenciei. Sinto-me triste por saber que há uma tão grande parte de alguém que se perde, que se deixa levar para onde não pertence, e por quem não merece (começo sim a achar que ninguém merece ninguém, acho que é tudo uma questão de satisfação de caprichos e fetiches).
Quis abraçar o teu corpo, abracei-o; quis sentir a tua alma, só senti uma alma que não te pertence exclusivamente a ti, que não te caracteriza como esperei que caracterizasse. Vou fazer um erro na minha vida, mais um apenas..., e vou escrever. Foi completamente o oposto de tudo o que eu estava à espera. Não esperava ter que te pedir um abraço, esperava-o de forma naturalmente espontânea (bem como não esperava a forma como o abraço acabou, essa surpreendeu-me ainda mais, mas não tenho que digitar palavras sobre isso aqui). Mas porque esperava eu isso, explico-me? Explico. Esperava uma conecção entre as coisas que dizes e as coisas que fazes, não que digas apenas palavras que em actos são como zeros na esquerda.
Vou ser franca e vou escrever que não me lembro da tua cara naquele dia, não sei como estava o teu cabelo, a tua barba, sequer o teu cheiro... Gostava poder ter um tempo contigo, poder dizer que me lembro da tua cara, do teu cabelo, da tua barba, até do teu cheiro. Mas sabes o porquê de tudo isto? Porque sempre disse a mim mesma, desde o dia em que te conheci, que nunca deixaria de gostar de ti. Não, não continuo apaixonada, continuo a gostar da pessoa que conheci e com a qual convivi, sendo também a qual a quem mais palavras tenho estagnadas para dizer. Gostava de um dia te convidar para conversar, mas que a resposta não fosse um "agora não dá cristina". Gosto ainda muito de ti, amigo (é a ti que tenho isto a dizer, não aos teus amigos!). Adeus.

3 comentários:

Aragorn disse...

Faz-te bem desabafar...nem que seja com uma mera página de formato html, mas quando não temos melhor lá tem que ser... Já sabes que sempre que precisares "I'm here" ;)

João disse...

Fizeste-m lembrar o anúncio da TMN =)

"Deita cá para fora!"

huahuahuahua

http://www.youtube.com/watch?v=Tl_zqa5DQ8I&eurl=http%3A%2F%2Fsupermarcas%2Eblogspot%2Ecom%2F2009%2F05%2Ftmn%2Ddeita%2Dca%2Dpara%2Dfora%2Deste%2Danuncio%2Ehtml&feature=player_embedded



Um beijo *

* disse...

Oh perfeita.
Foi demais este bodo. Principalmente Buraka.
Eu estou aqui assim de braços muitíssimo abertos para ti. <3